VOVÔ SEM VERGONHA (Crítica)

VOVO SEM VERGONHA

3emeio

Por Kadu Silva

A Pequena Miss Jackass?

VOVO SEM VERGONHA01

Acredito que não seja necessário apresentar o Jackass, mas é bom alertar que se você não é fã ou conhecedor do programa é melhor passar longe desse filme. Afinal se trata de um longa que apresenta toda as bizarrices que essa produção por anos mostrou na MTV.

O grande mérito do longa foi saber dramatizar uma história e dentro dela colocar as esquetes (pegadinhas) que o Jackass se tornou famoso. Óbvio que trama é frágil, afinal o roteiro se apega na ideia de que as situações constrangedoras das pegadinhas irão sustentar qualquer falha, mas não é o que acontece.

A história surge de um personagem já bem conhecido dos fãs do programa é Irving (Johnny Knoxville) um senhor de 86 anos que após a morte de sua mulher, acaba tendo que cuidar de seu bisneto Billy, já que a mãe do garoto foi presa. Irving querendo a liberdade acaba numa jornada pelos Estados Unidos para levar o garoto para seu pai. E no típico road movie, onde os dois vivem diversas situações bizarras, durante a viagem.

Toda a trama é moldada em referencia ao filme A Pequena Miss Sunshine, inclusive a cena antológica do concurso é reproduzida de forma quase idêntica por Billy travestido de garota, por sinal uma das mais hilárias do filme.

VOVO SEM VERGONHA03

Como já citei o fraco roteiro acaba por muitas vezes tirando o timing engraçado das piadas, já que fica difícil de comprar todas essas situações de câmera escondida que vão surgindo durante a narrativa, muitas vezes porque elas já caíram no desgaste do formato.

Essas esquetes talvez com o objetivo de diminuir a classificação etária e aumentar o público, mostram nesse longa pouco das situações de perigo, que também sempre foi uma forte característica do Jackass, no filme o teor das piadas são quase todas escatológica e por vezes sexual.

Já em seus acertos além da “apropriação” das referencias a Pequena Miss Sunshine, outro trunfo importante do longa é o carismático Jackson Nicoll, que faz o Billy, o garoto de apenas 8 anos, consegue segurar as piadas de forma invejável, a ponto de fazer o experiente Johnny Knoxville cair na gargalhada durante o filme. Para mim é a melhor coisa do longa-metragem – sempre que ele aparece para fazer as esquetes é certeza de riso fácil.

Vale destacar ainda a excelente maquiagem realizada em Johnny Knoxville, e sua performance impagável do vovó Irving, com o timbre de um idoso e até os trejeitos bem realizados, a ponto de ficar irreconhecível para quem não sabia muito da produção.

Vovô sem Vergonha é o típico filme que só vai agradar quem é fã, pois além da fragilidade do roteiro é recheado de situações que podem ser bem incomodas para quem não está acostumado com o formato bizarro do Jackass.

VOVO SEM VERGONHA02

SINOPSE

Irving Zisman (Johnny Knoxville) é um senhor de 86 anos que viaja ao redor dos Estados Unidos ao lado de seu neto Billy, de apenas oito anos. Durante o percurso ele permite que o garoto fume, ofenda as pessoas e beba bebidas alcóolicas, o que gera protestos das pessoas à sua volta.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Jeff Tremaine” espaco=”br”]Jeff Tremaine[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Jeff Tremaine, Johnny Knoxville, Fax Bahr, Adam Small
Título Original: Jackass Presents: Bad Grandpa
Gênero: Comedia
Duração: 1h 32min
Ano de lançamento: 2013
Classificação etária: 14 anos

TRAILER

Comente pelo Facebook