XINGU (Crítica)

XINGU

Pertinente e elegante

Talvez esse filme aos olhos da maioria das pessoas possa soar sem graça ou desinteressante, refletindo um pensamento dito pelo próprio personagem de Cláudio Villas Bôas – “O homem branco não gosto de índio”, e talvez por isso ele não faça o sucesso que deveria afim é uma oportunidade de entendermos com uma ótima narrativa como nos “civilizados” deveríamos preservar a cultura de uma população que faz parte de nossa formação atual e não ignorar como a maioria faz.

Orlando (Felipe Camargo), Cláudio (João Miguel) e Leonardo Villas Bôas (Caio Blat) são esses três irmãos que resolvem deixar a vida na cidade grande para se aventurar no campo, e para isso resolvem se alistar num programa do governo que tem como objetivo mapear a região central do Brasil para levar o progresso nessa terras selvagens. Os três irmãos acabam tendo contato com índios selvagem que aos poucos acabam aceitando a interação com os irmãos e esse contato acaba por mudar a vida deles e daquela região do Brasil.

O roteiro escrito pelo diretor Cao Hamburger ao lado de Helena Soarez e Anna Muylaert na parte em que acerta, constrói de forma muito sensível os primeiros contatos dos irmãos com o povoado indígenas e acerta em desenvolver muito bem cada um dos personagens centrais o que se torna fundamental para uma clara identificação do público esses três guerreiros.

XINGU01

Orlando vivido por Felipe Camargo faz o papel do “político” e mais centrado dos irmãos, sua composição é perfeita e o ator consegue de forma muito intimista dar uma ótima forma para esse personagem. Leonardo está na pele de Caio Blat, o mais sensível e emotivo dos irmãos que não pensa nas consequências de seus atos, vivi intensamente aquela experiência e isso se mostra também um problema no desenrolar da trama, ótima performance, mas o grande nome é João Miguel que faz o Cláudio, o protagonista, mostrando em uma atuação repleta de sentimento um homem humano e com uma visão visionaria, Miguel se destaca, não só pela história mais intensa do personagem, mas por conseguir equilibrar com genialidade momentos de drama, humor e romantismo, tudo de forma perfeita, o grande nome do filme.

Outros destaques do filme são os detalhes técnicos a fotografia é muito bem pensada ressaltando o já deslumbrante cenário dos campos e rios do Xingu. A direção de arte também é um show a parte, desenvolvendo com maestria o ambiente indígena, além da trilha sonora maravilhosa que em grandes momentos é de suma importante para sustentar o clima dramático ou de suspense de cenas de conflitos.

XINGU02

O ponto negativo fica para o roteiro, que como já citei acerta em desenvolver bem os personagens principais, mas erra em não condensar de forma mais harmoniosa o desenrolar dos fatos – talvez por um excesso de informação, e a montagem acaba tendo o papel de narrador, utilizando as legendas e outros artifícios para nos posicionar no tempo.

Entre seus erros e acerto o filme ganha em trazer para discussões vários temas importantes como a “globalização”, o cultura indígena (rica em assuntos sustentáveis) entre vários outros.

Por isso que é de fundamental importância ver esse longa que mostra como três homens foram fundamentais para a criação da reserva nacional do Xingu que ano passado completou 50 anos e ainda sobrevive sem grandes interferência dos brancos, somados a isso tem a elegante direção de Cao Hambuerger nessa belíssima produção, o que torna o filme uma excelente pedida para conferir nos cinemas, o Ccine recomenda, esse que para mim é até agora o melhor longa-metragem nacional do ano. Imperdível e emocionante!

DESTAQUE

Para o excelente elenco indígena que compõem o filme.

XINGU03

SINOPSE

Os irmãos Orlando (Felipe Camargo), Cláudio (João Miguel) e Leonardo Villas Bôas (Caio Blat) resolvem trocar o conforto da vida na cidade grande pela aventura de viver nas matas. Para isso, resolvem se alistar no programa de expansão na região do Brasil central, incentivado pelo governo. Com enorme poder de persuação e afinidade com os habitantes da floresta, os três se tornam referência nas relações com os povos indígenas, vivenciando incríveis experiências, entre elas a eterna conquista do Parque Nacional do Xingu.

ELENCO

[do action=”cast” descricao=”João Miguel (Claudio)” espaco=”x”]01 Joao Miguel[/do][do action=”cast” descricao=” Caio Blat (Leonardo)” espaco=”x”]02 Caio Blat[/do][do action=”cast” descricao=” Felipe Camargo (Orlando)” espaco=”x”]03 Felipe Camargo[/do][do action=”cast” descricao=”Maria Flor (Marina)” espaco=”br”]04 Maria Flor[/do]

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Cao Hamburger” espaco=”br”]Cao Hamburger[/do]

FICHA TÉCNICA

Título Original: Xingu
Gênero: Drama
Duração: 1h 42min
Ano de lançamento: 2012
Site Oficial: http://www.xinguofilme.com.br/

TRAILER

4estrelas

Comente pelo Facebook