Han Solo: Uma História Star Wars (Crítica)

Kadu Silva

Um Star Wars diferente.

Desde que a Disney resolveu reativar o universo Star Wars no cinema, continuando a contar a saga principal, como os filmes derivados, todas essas obras tinham por parte dos fãs e da crítica, uma expectativa enorme e praticamente todos os filmes atenderam tal promessa. Já o Han Solo: Uma História Star Wars, que busca apresentar a história de um dos personagens mais icônicos da saga, foi exatamente o contrário, visto os diversos problemas que ocorreram durante sua produção.

Antes de analisar se o filme é realmente “ruim” como muitos estão pensando é importante situar que o filme se passa antes dos eventos retratados em Star Wars: Uma Nova Esperança. Na trama conhecemos um pouco mais sobre a vida do mercenário Han Solo (Alden Ehrenreich), dentre os momentos importantes da vida do personagem, descobrimos como ocorreu o primeiro encontro dele com o seu fiel escudeiro Chewbacca (Joonas Suotamo), por exemplo.

Han Solo: Uma História Star Wars (Crítica)

O roteiro de Lawrence Kasdan (Star Wars: O Despertar da Força) e Jonathan Kasdan (A Primeira Vez) é extremamente corajoso, pois não busca fazer um filme mais do mesmo do universo Star Wars, eles desenvolvem uma obra que traz um olhar novo para a saga, e por isso, pode causar muito desconforto em parte da crítica e dos fãs mais fervorosos, pois a essência da salvação da galáxia entre o bem e o mal estabelecida pelos demais filmes é deixado de lado, aqui o herói está envolto em outros temas importantes como: miséria, escravidão, corrupção e até o crime organizado. É exatamente ampliando esse olhar, que conhecemos o porque Han Solo se tornou o contrabandista em Guerra nas Estrelas (1977).

Ainda que o filme não se passe na galáxia e quase não tenha naves e confrontos característicos (eu disse quase, tem uma ótima sequência de embate entre naves), os cenários são deslumbrantes, a computação gráfica é extremamente caprichada e a trilha sonora, essa sim, traz todo o espirito da saga que estamos acostumados nos demais filmes.

Vale destacar ainda umas das principais preocupação dos fãs, que é o desempenho de Alden Ehrenreich (Ave, César!), como Han Solo, e posso garantir, é certamente um dos melhores acertos do filme, ele carrega muito bem o peso do personagem; ainda que não tenha todo o carisma de Harrison Ford (Blade Runner, o Caçador de Andróides), sua atuação é totalmente aceitável, e a química com Chewbacca é louvável.

Han Solo: Uma História Star Wars é o típico filme de origem, que como toda obra desse formato, em certos momentos carrega em explicações desnecessárias e esquece de criar conflitos e uma aventura envolvente que vai além da “simples” história do protagonista.

Pôster de divulgação: Han Solo: Uma História Star Wars

Pôster de divulgação: Han Solo: Uma História Star Wars

SINOPSE

As aventuras do emblemático mercenário Han Solo (Alden Ehrenreich) e seu fiel escudeiro Chewbacca (Joonas Suotamo) antes dos eventos retratados em Star Wars: Uma Nova Esperança, inclusive encontrando com Lando Calrissian (Donald Glover).

DIREÇÃO

Ron Howard  Ron Howard

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Lawrence Kasdan, Jonathan Kasdan
Título Original: Solo: A Star Wars Story
Gênero: Ficção científica, Fantasia
Duração: 2h 15min
Classificação etária: 10 anos
Lançamento: 24 de maio de 2018 (Brasil)

VEJA TAMBÉM

Comente pelo Facebook