MAZE RUNNER: A CURA MORTAL (Crítica)

Kadu Silva

Um desfecho aceitável!

Maze Runner a franquia adolescente de ficção cientifica chega em seu terceiro e último filme da trilogia, um final aceitável, mas infelizmente um pouco abaixo do que poderia render.

De forma reduzida, o filme conta a história de um mundo pós apocalíptico, onde a C.R.U.E.L uma organização que controla uma cidade isolado do resto do mundo, busca no sangue de alguns jovens um antidoto para uma doença mortal, que pode exterminar os seres humanos da Terra, esses jovens são exatamente os mesmos que foram usados no experimento do labirinto, onde a C.R.U.E.L testou os melhores para esse antidoto. Agora Thomas (Dylan O’Brien) e seus amigos deveram decidir se aceitam ou não ajudar a organização, nesse, que eles dizem ser o último experimento.

O roteiro de T.S. Nowlin (Maze Runner: Correr ou Morrer), se submete em criar mais e mais cenas de ação em detrimento do desenvolvimento da história, que por carregar um enredo tão denso, poderia render um ótimo filme de abuso de poder e dos limites da ciência no desenvolvimento social.

MAZE RUNNER: A CURA MORTAL (Crítica)

Pelo menos Wes Ball que dirigiu todos os filmes da franquia se mostra preciso na condução das cenas de ação, que são muito bem filmadas e alguns são de tirar o fôlego. O realismo é tão impressionante, que justifica o fato de Dylan O’Brien (Horizonte Profundo: Desastre no Golfo) ter sofrido o acidente durante as filmagens e ter ficado vários meses internado, o que atrasou o lançamento desse último filme.

Tecnicamente o longa também acerta a mão, os efeitos visuais são bem melhores que os anteriores, direção de arte, figurinos, montagem, trilha sonora e fotografia tudo adequado, dentro da proposta.

Infelizmente o filme acaba não conseguindo explorar a trama por completo, sem contar as falhas graves do roteiro, que encontram saídas fora de tom para justificar a ação dos personagens, além disso, os arcos dos personagens são extremamente melodramáticos e em sua grande maioria previsível.

Maze Runner: A Cura Mortal, certamente conseguirá divertir e emocionar os fãs, mesmo com as falhas no desenvolvimento do roteiro.

Pôster de divulgação: MAZE RUNNER: A CURA MORTAL

Pôster de divulgação: MAZE RUNNER: A CURA MORTAL

SINOPSE

A escritora e psicanalista Lou Andreas-Salomé decide reescrever suas memórias aos 72 anos. Ela relembra sua juventude em meio à comunidade alemã de São Petersburgo. Desde criança, sonhava em ser intelectual e estava determinada a nunca se casar ou ter filhos. Além de trabalhar com nomes famosos, ela escreve sobre os relacionamentos conturbados com Nietzsche e Freud, além da paixão por Rilke e conflitos entre autonomia e intimidade, junto com o desejo de viver sua liberdade.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Wes Ball” espaco=”br”]Wes Ball[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: T.S. Nowlin
Título Original: Maze Runner: The Death Cure
Gênero: Ficção científica, Aventura
Duração: 2h 21min
Classificação etária: 10 Anos
Lançamento: 25 de janeiro de 2018 (Brasil)

VEJA TAMBÉM:

Comente pelo Facebook