Meu ex é um espião (Crítica)

Kadu Silva

Uma mistura divertida!

Misturar gêneros cinematográficos não é nada novo, tem longas que conseguem fazer tal feito com equilíbrio perfeito e tem outros que erram no tom. Em Meu ex é um espião a mistura entre comedia e ação funciona, apesar da trama deixar a desejar.

No filme Audrey (Mila Kunis) está triste após ser dispensada pelo namorado Drew (Justin Theroux), através de uma mensagem de celular. O que ela não sabia é que o ex-namorado é na verdade um agente secreto, que está sendo perseguido devido ao fato dele guardar um pen drive com informações sigilosas. Amparada pela sua melhor amiga Morgan (Kate McKinnon), Audrey é surpreendida com o reaparecimento de Drew, o que ocasiona a entrada das amigas no mundo da espionagem, mesmo sem querer.

O roteiro da também diretora Susanna Fogel (Parceiras Eternas), se sustenta no desenvolvimento de cenas de ação, uma atrás da outra e num texto cômico feito para que a dupla de protagonistas brilhe principalmente Kate McKinnon (Perfeita pra Você), que mesmo sendo uma coadjuvante rouba o filme para si.

A trama é até certo ponto boba e clichê dentro das referências de filmes de espionagem, o que torna o filme diferente (com ar refrescante) é o capricho acima da media nas cenas de ação, no nível, quase, do “Missão Impossível”, e como já citado o timing cômico perfeito das piadas.

Meu ex é um espião (Crítica)

Vale destacar também o aspecto técnico do filme, por ser um filme de orçamento alto Susanna consegue chegar a resultados muito interessantes, como na direção de arte, fotografia, trilha sonora, o som, tudo está a serviço da narrativa.

Mas existem erros ou escolhas equivocas na produção a começar a escolha de dar o protagonista para Mila Kunis (Cisne Negro), que por mais que seja uma excelente atriz, ela acabou ficando menor diante do brilho além da conta de sua parceira Kate McKinnon. Outro problema é na dosagem do gênero, pois o filme em determinados momentos fica patinando em ser uma piada dos filmes de espionagem ou de fato ser um filme de espionagem, o tom do humor está acima da média, e por ter cenas que a trama se leva a sério, a proposta fica incoerente para o espectador.

Independente de esses deslizes, ter um filme dirigido por uma mulher e protagonizado por duas atrizes, dentro de uma produção que reforça o discurso do empoderamento feminino é sempre louvável, principalmente no momento mundial em que o conservadorismo quer tomar protagonismo do mundo. Além disso, o texto repleto de piadas bem escritas é garantia de diversão certa!

Pôster de divulgação: Meu ex é um espião

Pôster de divulgação: Meu ex é um espião

SINOPSE

Audrey (Mila Kunis) está desiludida com o término do namoro com Drew (Justin Theroux), que a dispensou através de uma mensagem de celular. O que ela não sabe é que o agora ex-namorado é também um agente secreto, perseguido devido a um pen drive com informações sigilosas. Após receber o apoio moral de sua melhor amiga, Morgan (Kate McKinnon), Audrey é surpreendida com o súbito reaparecimento de Drew, após ameaçar queimar seus pertences. Logo ambas estão também envolvidas no mundo da espionagem, precisando ir às pressoas para Viena, na Áustria.

DIREÇÃO

Susanna Fogel Susanna Fogel

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Susanna Fogel
Título Original: The Spy Who Dumped Me
Gênero: Comédia , Espionagem, Ação
Duração: 1h 57min
Classificação etária: 12 Anos
Lançamento: 23 de agosto de 2018 (Brasil)

Comente pelo Facebook