O BOM GIGANTE AMIGO (Crítica)

Kadu Silva

Deu Ruim!

Steven Spielberg é indiscutivelmente um excelente diretor e mesmo com sua carreira mais que consolidada, ele ainda se permite aceitar desafios. Em O Bom Gigante Amigo, Spielberg faz sua estreia na direção de um longa para a Disney, pela primeira vez também apresentou sua obra no “assustador” Festival de Cannes (onde foi vaiado) e teve como protagonista uma menina. Apesar de ser tudo aparentemente tranquilo para o experiente cineasta, esses desafios tinham tudo para dar errado e de fato isso ocorreu, mesmo tendo, incríveis, 25 anos de produção para esse longa ser bem produzido.

Talvez o primeiro problema se encontra já na história que é de uma inocência fora de tom para os dias atuais, de forma geral, trata-se de uma órfã (Ruby Barnhill) que se torna amiga de um gigante bonzinho que é renegado pelos seus semelhantes por se recusar a comer meninos e meninas. Essa amizade leva eles até a cidade, onde junto com a Rainha da Inglaterra (Penelope Wilton) irão deter os gigantes malvados que planejam tomar as cidades e aterrorizar os humanos.

O roteiro é o último de Melissa Mathison (E.T. – O Extraterrestre) que nós deixou em novembro de 2015. Nele ela busca exatamente o mesmo formato narrativo de E.T., que é a visão da garota Sophie diante dos fatos, ou seja, a perspectiva infantil da história, no entanto a narrativa aqui é extremamente lenta a ponto de dar sono e o terceiro ato aonde ela tenta introduzir um pouco de humor e mais aventura, acontece um erro na mão e tudo se torna um pastelão que possivelmente não agradará a maioria.

Os problemas não param por ai, o filme é praticamente todo feito em CGI e isso acaba dando ao visual um teor artificial por mais belo que muitos momentos se mostram ao longa da projeção, ou seja, não é possível “comprar” a ideia do que estamos assistindo e para piorar o filme ainda deixa uma mensagem preconceituosa, já que o gigante só consegue o apoio da realeza inglesa ao se adaptar as convenções que lá são ditadas.

E até o maestro John Williams não consegue encontrar uma trilha sonora original para o longa, ela parece ser recortes de outros clássicos dele.

Ou seja O Bom Gigante Amigo é um filme cansativo, artificial de com piadas de extremo mau gosto, uma obra que não parece ter sido realizada por Steven Spielberg (definitivamente).

null

SINOPSE

A pequena órfã Sophie (Ruby Barnhill) encontra um gigante amigável que, apesar de sua aparência assustadora, se mostra uma alma bondosa, um ser renegado pelos seus semelhantes por se recusar a comer meninos e meninas. A garotinha, a Rainha da Inglaterra (Penelope Wilton) e o ser de sete metros de altura unem-se em uma aventura para eliminar os gigantes malvados que estão planejando tomar as cidades e aterrorizar os humanos.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Steven Spielberg” espaco=”br”]Steven Spielberg[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Melissa Mathison
Título Original: The BFG
Gênero: Aventura
Duração: 1h 57min
Ano de lançamento: 2016
Classificação etária: Livre
Lançamento: 28 de julho (Brasil)

Comente pelo Facebook