VIZINHOS 2 (Crítica)

Kadu Silva

Igualdade de gênero, já!

Dois anos após o lançamento do sucesso Vizinhos, chega aos cinemas a parte 2, que novamente faz do politicamente incorreto o lema para contar a história e como em time que está ganhando não se mexe, elenco e diretor estão de volta, a novidade fica por conta de Chloë Grace Moretz (A 5ª Onda).

A história dessa parte 2 é basicamente a mesma da primeira. Mac (Seth Rogen) e Kelly Radner (Rose Byrne) após descobrirem que serão pais novamente, resolvem vender a sua casa e se mudar para uma maior, o problema é que bem nesse momento uma nova fraternidade, dessa vez liderada por Shelby (Chloë Grace Moretz), apenas de garotas, aluga a casa ao lado, dificultando a vende do casal. É então que eles resolvem agir para tentar expulsar as garotas e assim vender a casa.

A grande diferença desse filme é desconstrução da imagem feminina, no roteiro de Seth Rogen (A Entrevista), Evan Goldberg (É o Fim) e Nicholas Stoller (Zoolander 2) vemos a inversão de papeis e a busca da nova geração de garotas, lutando para mudar as convenções sociais do que é para homens e o que é para mulheres, tudo de forma leve e extremamente divertida. Aqui o objetivo de desejo é o homem, que o papel fica a cargo de Zac Efron (Tirando o Atraso), o mesmo Teddy do anterior. Outro ponto que dessa vez é muito mais explorado no roteiro é a homossexualidade, e o mais interessante sem preconceitos ou piadas de mau gosto, pelo contrário no final, deixa uma mensagem extremamente positiva sobre o tema.

Como no outro filme, existe muito sexo, drogas e palavrões, o diretor Nicholas Stoller, a todo momento quebra diversos paradigmas, ninguém é “poupado” do olhar ácido, a família classe média, os policiais, as mulheres, os homens, os judeus e assim por diante.

O sexismo é a principal linha da narrativa do arco dramático, e felizmente, diferente do nacional Mulheres no Poder, consegue dar para essa inversão de papeis um olhar otimista e até certo ponto doce do que uma sociedade mais igualitária poderia trazer para todos que vivem nela.

Outro grande acerto do filme é novamente o elenco, que se despe de qualquer vaidade para contar essa divertida história, todos estão excelentes.

Vale destacar também a trilha sonora funcional para dar ritmo a narrativa, e também a ótima edição que ajuda no envolvimento do começo ao fim devido a ágil forma com que foi realizada.

Em comparação ao primeiro filme, tem um ponto que conseguiu encontrar o timing correto, que são as piadas ao estilo besteirol, que tanto o cinema norte-americano gosta, elas ainda estão presentes, mas acontecem dentro da proposta de contar a trama, e não apesar para tirar o riso do espectador.

Vizinhos 2 é um entretenimento sim, mas por trás dessa comedia, até certo ponto despretensiosa existe um forte grito pelos diretos iguais para qualquer ser humano, seja ele, homem, mulher, hetero, homo, ou seja, todos, sem distinção.

VIZINHOS 2

SINOPSE

Com um novo bebê a caminho, Mac (Seth Rogen) e Kelly Radner (Rose Byrne) decidem vender a casa e mudar-se para o subúrbio. Entretanto, uma nova fraternidade, mais estrondosa que seus antigos vizinhos, assumem a casa ao lado. Liderada por Shelby (Chloë Grace Moretz), as meninas do Kappa Nu pretendem mostrar que sabem fazer uma festa bem melhor que os meninos. A fim de que a paz na vizinhança seja restaurada e a venda de sua casa concretizada, Mac e Kelly convocam sua arma secreta: Teddy (Zac Efron).

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Nicholas Stoller” espaco=”br”]Nicholas Stoller[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Seth Rogen, Evan Goldberg e Nicholas Stoller
Título Original: Neighbors 2: Sorority Rising
Gênero: Comedia
Duração: 1h 32min
Ano de lançamento: 2016
Classificação etária: 16 Anos
Lançamento: 19 de maio de 2016 (Brasil)

Comente pelo Facebook